Culpa

Data de Publicação: 
02/10/2011 - 21:58

 Houve uma capa da revista ISTOÉ  que trouxe no título principal a palavra "culpas", associada a uma imensa pedra nas costas de uma pessoa. Qual o peso da culpa? 

culpa

Texto de Gabriel Perissé. 

A etimologia pode tornar a culpa menos assustadora?

No latim, temos culpa, no sentido de "delito", "erro", "vício". Retrocendo um pouco mais, chegamos ao verbo grego keleuo, "impelir", "chamar", "pôr em movimento" — o erro como resultado de um impulso interior.

Este impulso é deliberado? Podemos controlá-lo? Os antigos rezavam, em latim, uma fórmula de confissão pública em que se diziam culpados por terem pecado "cogitatione, verbo, opere et omissione", por pensamentos, palavras, atos e omissões. A culpa, portanto, nasce de quatro fontes.

Temos controle sobre o que pensamos, falamos, fazemos... ou sobre o que deixamos de fazer?

Daí a importância da palavra "desculpar". Quem admite abertamente a culpa (própria ou alheia) pode empregar o prefixo "des-". Desculpar e desculpar-se é seguir o impulso contrário ao da culpa, o impulso que afasta o erro, em busca do acerto.

A culpa sem desculpa é peso insuportável. Para o culpado, sem dúvida, mas também para aquele que inculpa alguém.